Não há mais espaço para cortes adicionais de juros, diz Itaú

11/06/2024

Segundo o banco, a decisão se dá pelas “expectativas de inflação crescentes e maiores incertezas doméstica e externa”

Sem mais cortes nos juros. O Itaú revisou as suas estimativas macroeconômicas e espera que a flexibilização deste ano tenha sido finalizada. Dessa forma, a projeção para a Selic passou de 10,25% ao ano para 10,50%, ao final de 2024 e 2025.

“Com as expectativas de inflação crescentes (já parcialmente desancoradas), atividade econômica resiliente e maiores incertezas doméstica e externa, entendemos não haver mais espaço para cortes adicionais de juros”, disse o Itaú em relatório divulgado a clientes e ao mercado nesta 2ª feira (10.jun.2024).

Os economistas do banco seguem com a expectativa de que a inflação oficial medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo) termine em 3,8% em 2024, com risco de alta diante das enchentes no Rio Grande do Sul e um mercado de trabalho apertado. Para 2025, também com riscos altistas, a projeção é de 3,7%.

O banco manteve as estimativas de expansão do PIB (Produto Interno Bruto) para 2024 e 2025 em 2,3% e 1,8%, respectivamente, apesar da incerteza sobre os efeitos das enchentes no RS.

O Itaú também decidiu manter as projeções de déficit primário em 0,6% do PIB em 2024 e 0,9% do PIB em 2025. O banco alerta sobre o risco fiscal, mas acredita que uma arrecadação mais forte pode compensar maiores gastos com o RS. Também não houve mudanças na projeção do dólar, R$ 5,15 em 2024 e R$ 5,25 em 2025.

Fonte: Poder360

Voltar
Seja um de nossos afiliado

Seja um de nossos afiliado

Faça parte do nosso sindicato!

Quero me Filiar

Cadastre seu e-mail

E comece a receber as notícias semanalmente direto no seu e-mail!

    Eventos

    O Sindicato dos Bancários sempre empenhado em manter um ótimo relacionamento, propor uma inúmeros eventos aos seus associados.

    Veja

    Memórias

    O Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos Bancários de Tubarão e Região foi fundado em 31 de agosto de 1958 e reconhecido em 20 de maio de 1959, com a finalidade de representar os bancários perante os poderes constituídos na defesa dos direitos e interesses coletivos e individuais da categoria, inclusive em questões judiciais ou administrativas e atuando sempre em busca de uma sociedade melhor.

    Veja
    Notícias

    Notícias

    Em notícias você terá um canal sempre atualizado com informações de seu interesse.

    Veja