Nova tabela do IR: veja quanto você vai pagar a menos de imposto no salário

22/05/2023

Nova tabela do Imposto de Renda: veja quanto você vai pagar (Por Giuliana Saringer)

A nova tabela do Imposto de Renda começa a valer neste mês. Quem recebe até R$ 2.640 passará a ter isenção e não terá imposto descontado no salário. Quem recebe acima de dois salários mínimos também será beneficiado, pois passará a ter uma retenção menor de imposto na folha de pagamento.

Qual será o desconto de IR no salário?
Quem recebe até R$ 2.640 não vai mais pagar Imposto de Renda nem na folha de pagamento nem sobre esses rendimentos na declaração anual. Mais de 13 milhões de brasileiros vão deixar de pagar IR, segundo o governo .

A nova tabela também beneficia trabalhadores que recebem acima de dois salários mínimos, que passarão a pagar mensalmente menos imposto. Um trabalhador que tem rendimento com base de cálculo de R$ 3.000, por exemplo, pagava R$ 62,60 de IR na fonte antes da mudança. Com a nova regra, vai pagar R$ 27 — R$ 35,45 a menos.

Nas faixas mais altas, diferença será menor, mas economia será de pelo menos R$ 15,53. O desconto para quem recebe R$ 10.000, por exemplo, passará de R$ 1.639,40 para 1.623,87. Praticamente todas as pessoas que ganham salários mais altos vão economizar pelo menos R$ 15,53.

Os cálculos foram feitos por Cleiton Felipe, diretor da área de impostos da BDO. A simulação considera o desconto de INSS na folha de pagamento, sem incluir descontos por dependentes, e considera a situação mais vantajosa ao trabalhador (assim como será feito no RH das empresas). Foi considerado também o desconto de R$ 528 criado pelo governo nos casos em que ele é mais vantajoso. Veja abaixo as simulações:


O que mudou?
A faixa de isenção subiu de R$ 1.903,98 para R$ 2.112. O valor das outras faixas foi mantido, mas quem ganha acima dos R$ 2.112 só paga Imposto de Renda sobre o valor excedente.

Foi criada uma dedução automática de R$ 528. Isso significa que a pessoa que ganha até R$ 2.640 (R$ 2.112 mais os R$ 528) não pagará nada de Imposto de Renda — nem na fonte, nem na declaração de ajuste anual.

A mudança em nada muda no envio da declaração do Imposto de Renda deste ano. A declaração do IR de 2023 refere-se aos rendimentos recebidos no ano passado. A nova tabela já está, mas só vai ser considerada no cálculo do imposto devido na declaração de ajuste anual do ano que vem.


Veja como era a tabela antiga:


Entenda como funciona o desconto simplificado

O novo desconto de R$ 528 é opcional. A Receita diz que quem tem direito a descontos maiores pela lei, como previdência e dependentes, não será prejudicado.

Para quem ganha R$ 10 mil, por exemplo, não valerá a pena o desconto simplificado de R$ 528, de acordo com a Receita. Isto porque as deduções atuais são maiores do que este valor.

Quem decide se vale a pena usar o desconto ou as deduções legais é a empresa pagadora. Para quem recebe dois salários mínimos (R$ 2.640), o desconto sempre será usado. Quem ganha mais vai depender das outras deduções possíveis, de acordo com Valdir Amorim, coordenador técnico jurídico e tributário da consultoria IOB.

Quem ganha até R$ 2.640 vai deixar de pagar Imposto de Renda. O desconto de R$ 528 é opcional, porque há pessoas que têm descontos maiores, como previdência, dependentes e pensão alimentícia. Thiago Godoy, educador financeiro da Rico Investimentos

As empresas vão pegar o salário, deduzir os R$ 528 e olhar a faixa da tabela [onde o valor se encaixa]. Depois vão fazer a mesma coisa descontando as deduções legais e comparar. A empresa vai usar a opção mais benéfica ao consumidor. Valdir Amorim, da IOB

Tabela não era atualizada desde 2015
Esta é a primeira atualização da tabela do IR desde 2015. A isenção era dada para quem recebia até R$ 1.903,98.

A falta de atualização da tabela do Imposto de Renda faz com que a cada ano mais pessoas paguem IR. O desconto é feito diretamente no holerite do trabalhador.

Lula se comprometeu a elevar a faixa de isenção para até R$ 5.000. A correção da tabela do Imposto de Renda é uma de suas principais promessas de campanha, mas ainda não tem data. Segundo Haddad, é preciso avançar nas reformas e nas medidas de controle das contas públicas para aumentar o limite de isenção.

O governo deve deixar de receber R$ 3,2 bilhões em 2023 (de maio a dezembro) e R$ 5,88 bilhões em 2024. Os cálculos são do Ministério da Fazenda.

Fonte: UOL

Voltar
Seja um de nossos afiliado

Seja um de nossos afiliado

Faça parte do nosso sindicato!

Quero me Filiar

Cadastre seu e-mail

E comece a receber as notícias semanalmente direto no seu e-mail!

    Contato

    Para obter mais informações ou enviar sugestões, entre em contato conosco, teremos satisfação em atende-lo.

    Veja

    Eventos

    O Sindicato dos Bancários sempre empenhado em manter um ótimo relacionamento, propor uma inúmeros eventos aos seus associados.

    Veja
    Denuncie Assédio Moral

    Denuncie Assédio Moral

    O programa de combate ao assédio moral é uma conquista dos trabalhadores após grande mobilização na Campanha Nacional Unificada 2010. Trata-se de um acordo aditivo à Convenção Coletiva de Trabalho que tem adesão voluntária tanto dos bancos quanto dos sindicatos.

    Veja